07/01/2018

Tudo o Que Você Precisa é de Menos


Desde cedo, aprendi que a gente precisava trabalhar muito duro para ter. Apesar de poucas letras, ter foi a palavra que dominou minha vida durante muito tempo, pois nos meus 16 anos já comecei a trabalhar apenas para gastar meu dinheiro em compras vazias, já que eu aprendi que era assim que funcionava. Você trabalha, ganha e gasta tudo em coisas que não fazem tanto sentido, como roupas demais, eletrodomésticos que você vai usar por apenas uma vez e uma porção de objetos que em breve estarão escondidos dentro de gavetas. A vida aparentemente era sobre isso e meu propósito era ter sempre mais.




Quando eu tinha 16 anos, eu admirava pessoas com itens de luxo e queria ser uma delas. Com 18 anos eu tinha um armário lotado, uma série de sapatos, acessórios e dinheiro sobrando, tudo conquistado por mim em infinitas horas de trabalho. Eu tinha tudo o não significava nada, e o que realmente me era necessário, faltava.

Com 16 anos eu admirava pessoas com dinheiro. Hoje, eu admiro pessoas com paz interior. 



Com o tempo você percebe que o preço das coisas não é mais em real, em dólar ou euro. O preço das coisas é o tanto de vida que elas te tomam. O tanto da sua alegria, da sua paz.

O preço de querer ter tudo desde tão nova, foi ficar extremamente deprimida e me sentir extremamente sozinha. Afinal de contas, eu não dava valor pras relações que eu poderia construir com as pessoas, eu valorizava o que eu poderia ganhar com aquela situação. Ainda bem que hoje, eu não sou a mesma pessoa que fui ontem e que a gente muda constantemente, aprendendo com cada pequena situação pela qual passa. Tentando mudar minha realidade baseada na palavra ter, eu descobri um movimento que me inspirou muito: o minimalismo.



Com ele, aprendi que não é sobre o que você tem, mas o porquê você tem.

Comecei a questionar isso para tudo na minha vida: Por que você existe? Porque eu te comprei?
E percebi que não havia propósito em nada, então... eu desapeguei dessas coisas. Esvaziei o armário, as gavetas, revisei minhas amizades, limpei toda essa bagunça, todo esse excesso e deixa eu te contar, é extremamente libertador você perceber o pouco que você precisa para ser feliz. Talvez a vida que você sempre quis, estava enterrada embaixo de todas as coisas que você possui.





Posso te dar uns concelhos? Acorde cedo, beba café, seja ambicioso, mas lembre-se que a vida não é só boletos. Revise seus objetivos, OLHE AO SEU REDOR, sinta as coisas e prefira as experiências aos excessos! Defina suas prioridades, abuse da economia compartilhada. Produza menos lixo, tenha sua própria horta e OUÇA as pessoas. Ande de balanço, de bicicleta, ande de bom humor e ANDE com suas próprias pernas para todos os lados! Pare de glorificar o status de ocupado, por que estar ocupado não é estar feliz.
Coma bem, viva bem e trate bem as pessoas. Procure por respeito e não atenção. Sabe como você fica rico, financeiramente no final de tudo isso? Você reduz a quantidade de coisas que você quer, sobra mais dinheiro. Só que eu já vou te avisar, dinheiro não tem o mesmo valor e nem as mesmas utilidades de antes. Você vai mudar sua relação com dinheiro depois disso. 



Desapega, e esse sentimento que você tem sobre desapegar, desapega dele também.

Se apega ao que realmente importa. Menos ter, e mais ser.



| Vestido: brechó | Sandália: Insecta Shoes | 


See you soon!

comentários pelo facebook:

6 comentários:

  1. Amei as fotos, super lindas.

    http://www.blogsecretplace.com/

    ResponderExcluir
  2. que texto mais lindinho ♥ mudar o foco e encontrar um propósito é uma das coisas mais incríveis que a gente pode fazer. e isso automaticamente nos coloca num lugar de querer menos e entregar mais, né?

    ResponderExcluir
  3. Mari, tu é inspiradora!
    Faz um tempo que eu decidi diminuir drasticamente meu consumo por roupas e cosméticos em geral, e tu tem me ajudado muito, tu me inspira, a mensagem que tu passa e o movimento que tu representa, e muito bem diga-se de passagem, estão sendo essenciais na minha evolução.
    Obrigada!!

    ResponderExcluir
  4. Nossa comecei meu processo ano passado mas eu já estou mês sentindo mais leve e é tão bom tão gostoso.Obrigada por compartilhar sua história inspiradora 😘

    ResponderExcluir
  5. Mari eu amo seus textos e vídeos. Te acho muito inspiradora. Sua coragem é de invejar... Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Parar para ler seus posts sempre é garantia de bom conteúdo é de enriquecimento pessoal. Como te admiro, e como você me inspira, Mari! Adorei demais o post, quero guardar tudo isso, todas essas palavras.
    A Dani arrasou nas fotos!

    Www.ultimobiscoito.com

    ResponderExcluir