20/09/2017

Mais um look com um texto sem sentido da Marieli


Ás vezes eu sento em frente ao computador sabendo exatamente o que eu quero falar. Sabendo o assunto exato sobre o qual eu quero escrever. Mas em alguns dias, como hoje, por exemplo, eu me encontro aqui questionando se realmente vale a pena escrever sobre meu coração partido. Sobre o que eu sinto e como eu sinto. No fundo, eu sei que vale a pena escrever sobre paixão por mim, e não por você. Eu mereço isso, eu preciso externalizar. Finalizar. 



Anotada na primeira página do meu planner a frase que define muito sobre quem sou eu:

"comovo-me em excesso, por natureza e por ofício. Acho medonho alguém viver sem paixões"

Acho inapropriado viver sem chorar a perda de um grande amor. Acho vazio viver sem sentir, assim como é vazio viver sem ti. 

Mas a gente segue. Segue em frente, segue o baile. O problema é que mesmo seguindo todos os bailes dessa São Paulo agitada, sendo eu tão agitada quanto ela, sempre há de tocar uma música que me lembre de você. Não precisa nem ser música triste, pode ser uma feliz mesmo. Uma que fale sobre balanços, vento no cabelo, jaquetas de couro e uma moto barulhenta em uma viagem por estradas vazias. Pode ser uma daquelas músicas que eu não conhecia e que você gostava tanto, até fiz uma playlist. 

Fazem alguns dias que eu não tenho coragem de clicar no play. 

Fazem alguns dias que eu entro em pânico quando ouço qualquer Harley fazer barulho. Eu sei que nunca é você, nunca vai ser. 



Todavia, tá tão bom sem você. Nem penso tanto assim em nós, pois ando ocupada demais pesando em mim e eu sei que essa melhora repentina na minha vida é consequência da sua falta. Você foi a droga mais viciante que eu já provei, me levava ao céu quando tocava minha pele, mas qualquer minuto sem você era agonia pura. Desintoxiquei. Guardei você e a playlist num cantinho da minha mente onde eu não tenho acesso 24 horas por dia. 

Eu esqueci as coisas que você fez, apaguei as coisas que você disse, mas é impossível não lembrar do que você me fez sentir. É impossível não lembrar que lá na varanda, 1,157 km distante daqui, meses atrás, eu já sabia que você seria meu caos mais bonito. 

Você sempre disse que o mundo não acaba amanhã, mas se acabar saiba que, ainda hoje, eu te amei um pouquinho. 



Eu visto: 

| Vestido Floresta: Não Vivo Sem Store | Sapato: Quiz | Bolsa: Cordi | Jaqueta Jeans: brechó de rua | 


comentários pelo facebook:

3 comentários:

  1. que texto mais lindo ♥ se te faz bem, vale a pena externalizar sim! adoro esse combo de texto incrível + look maravilhoso

    ResponderExcluir
  2. É mais uma estória na sua estória de vida. Lindo Texto.

    ResponderExcluir