30/07/2015

Resenha: A Menina Submersa

Sinopse

"A Menina Submersa - Memórias' é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do 'real' sobre o 'verdadeiro' e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma 'obra-prima do terror' da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards 2013. A autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e HP Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial - na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa -, e sabem que o medo real nos habita. O romance evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf."

Um livro dentro de outro livro: é exatamente do que se trata. É um caleidoscópio de imagens e de lugares assustadores que podem existir no seu subconsciente. Quem nos conta a história é Imp, uma garota perseguida pela maldição da loucura de sua família que já havia levado sua mãe e a avó. Ela é esquizofrênica e os primeiros sintomas dessa doença possivelmente começaram a surgir após uma visita com a mãe, em seu aniversário de 11 anos, em um museu onde se deparou com o quadro de Phillip George Saltonstall: A Menina Submersa. Desde aquele momento, Imp adquiriu uma obsessão por sereias, água, mar e particularmente pelo quadro, pela garota representada no quadro e pelo pintor.


Imp é pintora, e vivia sozinha em um aparamento até o dia em que encontra Abalyn, uma transexual sendo despejada de casa, e a convida para passar um tempo com ela. A partir daí, surge uma relação muito forte entre Imp e Abalyn, elas se apaixonam e constroem um relação juntas. Em um dia de julho, Imp resolve dar um único passeio de carro à noite e encontra Eva Canning na beira da pista, nua, molhada e a leva para casa. Eva Canning, uma garota, uma sereia, um lobo, ou a garota do quadro de Saltonstall, a razão de Imp escrever o livro e enfrentar as maiores crises mentais que ela a ter em sua vida. Eva é literalmente, a razão desse livro existir, ela não é mais um fantasma para Imp. Ela É o fantasma. 


“Fantasmas são essas lembranças fortes demais para serem esquecidas, ecoando ao longo dos anos e se recusando a serem apagados pelo tempo.”

Eva partiu naquela noite, mas continuou voltando para a vida de Imp, em julho e novembro. Nos sonhos e em alucinações. Era e não era real. Um livro escrito de maneira que tenhamos que decidir entre acreditar ou não no que é ou não real dentre todos os pensamentos que a personagem transborda ao longo das páginas. Você decide se o que ela nos conta é ou não confiável. 


“Nenhuma história tem começo e nenhuma história tem fim. Começos e fins podem ser entendidos como algo que serve a um propósito, a uma intenção momentânea e provisória, mas são, em sua natureza fundamental, arbitrários e existem apenas como uma ideia conveniente na mente humana.”

Dizer que a trama é intensa é pouco. É densa, psicológica, confusa, surreal. Não é engraçada, não é romântica, mas é sincera e tem uma história de amor. Qual é o ponto principal? Não sei. Não faço ideia, gente. Ao terminar a leitura, eu simplesmente poderia começar a ler tudo novamente e tentar digerir aos poucos toda a carga emocional que foi despejada em mim. 

"O que mais tememos não é o conhecido. O conhecido, por mais horrível ou prejudicial à existência, é algo que podemos compreender. Sempre podemos reagir ao conhecido. Podemos traçar planos contra ele. Podemos aprender suas fraquezas e derrotá-lo. Podemos nos recuperar de seus ataques. [...] Mas o desconhecido desliza através de nossos dedos, tão insubstancial quanto o nevoeiro. "

Eu achei o livro incrível, porém de leitura difícil, levei séculos para conseguir terminá-lo. Era uma leitura magnífica, intrigante, mas eu não conseguia manter o ritmo por muito tempo. Talvez por ser bem detalhista, ter citações e alusões a vários autores, obras de arte, datas... Além de eu nunca saber ao certo o que era real ou ilusão e ficava tendo pensamentos paralelos sobre isso. A história poderia muito bem ser sobrenatural, de terror, mas eu não consegui ver esse livro como sendo desses gêneros. É muito mais. Não é um romance também. Eu não sei o que é, mas sei que é muito, muito bom. 


Uma coisa muito importante para se falar também, é o trabalho incrível que a Editora Darkside fez com esse livro. A capa, a edição, o papel, as ilustrações: tudo em perfeita harmonia, sempre relacionando-as com a história, dando sentido aos detalhes. 
Por hora, só posso afirmar que estou tanto encantada, quanto intrigada. Esse livro acabou virando um fantasma em minha vida e eu estou gostando de ser assombrada por ele. 

P.S: Não acharam que eu iria esquecer da falar do layout novo, né? Estou apaixonada, mas quero saber a opinião de vocês, então, me contem ai nos comentários o que vocês acharam! Beijos e até mais! 

comentários pelo facebook:

5 comentários:

  1. Gente, que loucura! Gostei do livro pela capa e fiquei com vontade de ler, mas não imaginava que a história seria tão intensa assim. Não sei se quero muito ler ou se quero passar longe, mas acho que vou pelo menos tentar. E o layout ficou maravilhoso! Aquele fusca ali no rodapé tá um amor só. :)

    ResponderExcluir
  2. Jesus, que história louca! Eu vi a capa desse livro e fiquei APAIXONADA, sei que vou comprar pra decorar, se vou conseguir ler já são outros 500... hahahaha Suas resenhas perfeitas como sempre, né? <3

    Ps: gostei do layout, tá bem clean e organizado, mas eu amavaaaaaa o antigo também! :( Enfim, seu blog é maravilhoso e tá cada dia melhor, Mari =*****

    www.omundodelua.com

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é MARAVILHOSO *-* amo demais, mas também passei pelos mesmos perrengues que você, demorei séculos pra ler e não consegui entender direito o gênero em que A Menina Submersa se encaixa. Estou desesperada por esta edição em capa dura, tenho que correr porque certeza que em breve vai acabar, a Darkside sempre faz edições limitadas </3

    Seu layout ficou lindo! Beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Nossa adorei a resenha!! Não se encaixa no que eu costumo ler mais já coloquei na minha listinha kkkk. O layout ta maravilhoso!
    jarimdevaneios.blogspot.com

    ResponderExcluir