17/07/2015

Buenos Aires: Hotel, Câmbio e Impressões

Oi gente! Vim falar sério aqui hoje com você que em algum momento da sua vida quer conhecer Buenos Aires. Li inúmeros blogs, vi inúmeros vlogs e vídeos e nenhum, sim, NENHUM, me deu dicas que foram se mostrar absurdamente importantes para a trip! E o pior, só percebi isso depois que já estava por lá. Por isso, resolvi reunir toda minha sinceridade e praticamente desabafar um pouco sobre os perrengues que passei compartilhando com vocês algumas dicas básicas e mais algumas informações como onde me hospedei e onde fiz o câmbio do dinheiro. Lembrando que este post contém as MINHAS opiniões, levando em consideração as experiências que eu tive e aquilo que eu acho importante. Buenos Aires é um destino muito comum e muitas pessoas passam por situações diferentes e por isso tem todo o direito e razão de formar opiniões divergentes. 

Dica 1. Evite ficar desatento.

A primeira dica de Buenos Aires é bem básica. Você está de férias e é justamente esse o problema. Turistas desatentos são o alvo mais fácil, até porque eu sei muito bem que dá muita vontade de ficar o tempo todo andando com a câmera e o celular na mão. Entretanto, Buenos Aires é uma cidade relativamente segura, se compararmos com as grandes capitais brasileiras, então também não precisa ficar paranoico o tempo todo. Bairros como Palermo Soho são absurdamente tranquilos inclusive a noite, mas se você estiver perto do centro ou em Palermo, procure não caminhar em ruas vazias. 


Rua de Palermo Soho

Dica 2. Táxis

O meu maior problema em Buenos Aires foram os táxis. MEU. PAI. DO. CÉU. Que dificuldade, gente. Em primeiro lugar, pegamos um táxi do portão de desembarque internacional do Aeroparque, o que foi totalmente errado. O pilantra do taxista acabou se aproveitando da gente e cobrou 190 pesos até o hotel quando o certo seriam algo em torno de 80 à 90 pesos. Fizemos a mesma corrida em outro dia com um taxista decente. Enfim, se você está no portão de turistas tem muito mais chance de pegar um táxi com o taxímetro alterado - o que foi nosso caso. Dica: se você estiver no Aeroparque, caminhe mais 10 metros e pegue um táxi no portão de desembarque nacional. Pegue sempre os carros de companhias e fique atento ao taxímetro! Em maio de 2015 quando estive lá, o ideal era cobrar 1,69 pesos por 200 metros, a taxa de cobrança sempre está bem à vista pendurada no banco do motorista, virada para trás, é claro. A mesma dica serve para táxis em lugares muito turistícos: El Caminito, Casa Rosada, Obelisco, etc. Alguns taxistas são suuuuuper simpáticos, inclusive nos davam aulas de história sobre BsAs durante o caminho, mas outros nem tanto. No mais, o táxi é baratinho e preferimos ele. Nós até tentamos pegar um ônibus por lá, mas não deu muito certo.

Dica 3. Câmbio e dinheiro.

Primeiro, trocamos alguns reais no aeroporto em BsAs para pagarmos o táxi, a cotação na época era de 1 real por 3,30 pesos. Depois optamos pela casa de câmbio Connect Argentina. Conseguimos uma cotação de 1 real por 3,50 pesos. Foi uma boa cotação para a época, mas já existiram tempos melhores! Trocamos umas duas vezes o dinheiro lá e o atendimento foi ótimo. Confira sempre o valor recebido e procure em todas as notas a marca d'água para se certificar que é dinheiro de verdade. 
Levei R$1.500,00 e quase passei fome. Drama Queen. Mentira, não foi pra tanto, mas achei que voltaria com a mala cheia de roupas, cosméticos, e etc, mas não rolou! Comprei pouca coisa (tem vídeo sobre as minhas compras nesse link aqui), gastei bastante com a comida - falo mais sobre isso abaixo - e voltei com R$50,00 para o Brasil. 



Facultad de Derecho

Dica 4. Comida.

Você gosta de batatas? Se sim você vai amar Buenos Aires. Fritas, cozidas, assadas, com casca, sem casca, amassadas, compridas ou redondas as batatas estiveram presentes em 90% das minhas refeições. E olha que não foi porque eu quis, foi mais por não ter opção. Todos os pratos vinham com a tal da guarnición que é o acompanhamento, que para nós seria arroz e salada e para os hermanos é a batata. Feijão e arroz não existem. E por favor, pessoas parem de dizer que em Buenos Aires só tem carne boa porque eu comi diariamente em restaurantes diferentes e que tecnicamente seriam de qualidade, e o bife que eu frito em casa para a janta da segunda-feira é melhor do que o bife do prato principal. E o pior: comer em BsAs não é tão barato assim quanto nos fizeram pensar. Uma refeição meio decente não se faz com menos de 30 reais. Tomar água mineral, Coca-Cola e comer sobremesa são coisas de gente rica. O atendimento é lento e os garçons são um pouco preguiçosos e alguns cobram uma gorjeta alta sem nem merecer. Fuja de restaurantes de turistas! Se quiser ir no Caminito, não almoce por lá! Você vai gastar um absurdo e vai comer bem mal. Não se deixe levar pelo papo dos garçons, eles não estão interessados na sua fome e sim no seu dinheiro.  
Curiosidade: uma garrafa de 1L de cerveja Quilmes é mais barata do que 350ml de Coca-Cola. Bora encher a cara, gente. HAHAHA

Café Bartola

Dica 5. Hotel

Se você curte cafés, lojas legais, ruas repletas de plátanos e menos movimento durante o dia se hospede pelo Palermo Soho. Meu bairro preferido e se eu voltar a BsAs algum dia, é por lá que eu quero ficar! Como não conhecia nada da cidade acabamos nos hospedando no Pop Hotel, em Palermo. Preço bom, camas maravilhosas, limpo e aconchegante, porém a localização não era tudo aquilo. Reservamos o hotel pelo Booking.com, deu tudo certinho e não tenho nada a reclamar desse site. Em relação ao hotel, o atendimento na época foi metade bom e metade ruim: tinha uma moça trabalhando na recepção que não era muito simpática, mas quando o Federico e o Nicolás estavam na recepção era outra história! Além de gatos, são muito queridos! HAHAHAH Os quartos eram limpos diariamente e os sabonetinhos do banheiro eram super cheirosos. 

Dica 6: Não se iluda.

Buenos Aires é linda. Cidade histórica, inspiradora e apaixonante. Mas não é um conto de fadas. Nenhuma cidade é. BsAs me lembrou muito Porto Alegre. As principais diferenças entre essas cidades eram as praças lindas e bem cuidadas da capital hermana, que em nada se comparam as de POA. Procure visitar museus, as faculdades e praças como o Jardim Japonês e o El Rosedal. Passe algum tempo caminhando por Palermo Soho e nas Avenidas Corrientes e Córdoba. Procure observar muito a arquitetura e a beleza dos lugares sem criar expectativas absurdas antes de ir. Os lugares que eu mais gostei foram assim: eu não esperava nada deles e quando os via pessoalmente me surpreendia! 

El Rosedal
Então é isso people, espero que tenham aproveitado o post e qualquer dúvida é só deixar aqui nos comentários! Beijão!

comentários pelo facebook:

8 comentários:

  1. Amei todas as informações aqui compartilhadas, tenho muita vontade de ir lá dá um Rolê, já li centenas de posts, mas o seu foi bem instrutivo, obrigada!
    www.eucriomoda.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa amei as informações,já sei quando for para lá [quem sabe um dia] kkkk já saberei como agir e onde ir :)

    ResponderExcluir
  3. amei o post, estou querendo ir para lá haha quem sabe um dia <3

    ResponderExcluir
  4. Amei sua sinceridade Mari, e sim é isso que falta nos blogs. Pessoas só dizem as mil maravilhas e nunca o que acontece de fato e que passam perengue e tal. BsAs é um dos muitos lugares que quero conhecer, e certamente agora irei mais preparada.. Beijos

    ResponderExcluir
  5. AMEI sua publicação.. acho super importante esse tipo de dica.. não adianta mostrar só os pontos positivos né? Assim fica muito mais fácil de ir sabendo a realidade direitinho <3
    Um beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir
  6. Sonho! Quem sabe ano que vem eu não dou uma fugidinha pra Buenos Aires? hahah
    @irianneveloso | irianneveloso.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post, tenho muita vontade de conhecer Buenos Aires... gostei das suas impressões,é bom ter algumas noções assim para viajar, se iludir é a pior coisa Quase Reis | Facebook

    ResponderExcluir
  8. passei pela mesma coisa no Chile, agora em junho. valor abusivo por uma comidinha mais ou menos em todos os lugares. nosso dinheiro, infelizmente, está valendo bem pouco. fora e dentro do Brasil. eu fui à Buenos Aires em 2011 e já achei tudo bem caro por lá. mesmo assim, adorei e pretendo repetir a trip. besos

    ResponderExcluir